O Museu do Voto do TSE que ocupa a edificação desenhada por Niemeyer, e formado por quatro salas: sala de estar, sala de exposição

de longa duração, sala de oficinas educativas e sala de exposições de curta duração.

O visitante e recebido na Sala de Estar e convidado a se cadastrar em terminais da instalação ‘Faça parte do Museu do Voto’. Ao se cadastrar recebe seu ‘Título de Eleitor’ virtual. O cadastramento possibilita o acesso ao ambiente simulador do processo eleitoral, bem como a inserção de depoimentos no banco de dados do museu, incluídos no ambiente da Mostra. Sua foto passa a integrar a instalação ‘O Povo Brasileiro’,

um mosaico formado por rostos de brasileiros visitantes do museu.

O projeto expográfico da exposição de longa duração foi desenvolvido de modo a atender às demandas definidas pelo conteúdo apresentado pelos historiadores do TSE, contando a história dos ‘Fazeres Eleitorais’ a partir de 1532, através de diferentes interfaces de caráter

interativo e imersivo. Pretende envolver o visitante e convidá-lo a participar de ‘um dia de eleições nos diferentes períodos’, em meio à cena político-social de cada época, contextualizando os costumes e procedimentos eleitorais através de elementos variados tais como obras

de arte, música, tecnologias de difusão e comunicação, réplicas de mobiliário, bem como itens de acervo e fac-símiles dos documentos

mais importantes elaborados em cada período.

Os fatos da história do Brasil pertinentes ao tema e a dinâmica que resultou na conquista de direitos civis hoje existentes, percorrem o espaço delimitado por divisórias em curva que ora descem do teto e se transformam em suportes para aparatos, ora dividem o espaço formando nichos e cabines. Os períodos são apresentados em nichos formados por um conjunto de aparatos interativos e recursos tecnológicos, mantendo, entretanto, a fluência entre eles.

As instalações são de caráter coletivo, com a participação dos múltiplos usuários distribuídos pelo espaço do museu, conduzidos através

de uma narrativa que permite a comparação entre os períodos e a reflexão sobre as mudanças da sociedade percebidas através dos “Fazeres Eleitorais”.

Os nichos são oito: Voto de Além Mar, Degraus Eleitorais, Voto de Compadre, Invenção da Justiça Eleitoral, Hiato Eleitoral, Era dos Partidos Políticos Nacionais e Democracia e Voto Eletrônico.

Em cada nicho o ‘Processo Eleitoral’ é vivenciado individualmente ou em grupo de visitantes, finalizando cada infográfico com a diplomação dos eleitos. As mídias de divulgação – dos manuscritos que cruzavam o Atlântico, aos jornais, rádio e TV no século XX – fornecem elementos de comunicação que perpassam a narrativa, reforçando a percepção da conjuntura, do modus operandi do processo de voto e da representação política na sociedade.

Museu do Voto - TSE

Ano:2013

Cliente: Tribunal Superior Eleitoral